Quem Somos
Galeria de Fotos
         
 
Serviços
Notícias
         




Notícias

THE TRIP TRAP : La Fontaigne e a Viagem, por Domingos Venancio.

19/06/2013
 

O tenis é um grande network ! Amigos, negócios, saúde física e mental,viagens de intercambio mundo afora, estudos pagos em vários países, idiomas, etc. Além de várias atividades profissionais correlacionadas ( aulas, promoções de eventos, fisioterapia, nutrição, fisiologia, psicologia, etc ). E, para pouquííííssimos, uma carreira como tenista  profissional !!! Preocupa-me, porém, o número crescente de jovens que, após alguns anos competindo nos torneios infanto juvenis, abandonam o tenis PARA SEMPRE , frustrados, decepcionados e rancorosos, sem usufruir de seus inúmeros benefícios posteriores. Uma das principais razões (se não a principal) para tal é o alto grau de expectativa ( principalmente por parte dos pais e técnicos), desproporcional , e, por vezes, incompatível com a realidade daquele jovem tenista. Vamos mais a fundo com este alerta... O roteiro é sempre muito parecido...

Um velho ditado americano diz “aim for to the stars” ( tente atingir as estrelas), e, como complemento ... “se não conseguir, tudo bem...alguém tem que ficar e tomar conta da Terra...”  De tempos em tempos o assunto volta, em algum torneio juvenil, algum clube ou academia... “Sabe o fulaninho ( ou fulaninha), filho do fulano ? Pois é, resolveu que vai ser profissional de tênis...” ou....  “ele ( ou ela) agora é profissional de tênis...”.

Sem pesquisa alguma sobre os resultados, o grau de dificuldade ou as chances percentuais e a “real” sobre o assunto, imediatamente, como em um milagre, todos passam a ver, cheios de orgulho, aquele (ou aquela) jovem tenista como um “futuro campeão”. Passam a avaliar , desproporcionalmente, seus “potentes” golpes ( mesmo que caiam lá em Olaria..) com mais atenção do que seus resultados ou progresso. Perder na 2ª rodada passa a ser “perder nas 32as de final” ....w.o. passa a contar como merecida vitória, em informações do tipo “ganhei um jogo e perdi nas 16as de final”... ou quando dito pelo técnico ou pai...  “alcançamos as oitavas !”(com uma vitória por wo, e uma derrota no 2º jogo). Sempre a derrota virá acompanhada de um ranking... “perdemos para o 25º do ranking do Paraná  (ou de Sergipe, ou do Maranhão)!!!!”  Este jovem passará a ter a responsabilidade de ganhar jogos que nunca ganhou, mostrar resultados acima de seu próprio nível, e, consequentemente , será muito cobrado por aqueles que criaram e, agora, alimentam (mesmo que inadvertidamente) uma farsa... uma “viagem” !!!! THE TRIP !!!  Que pode ser criada pelo interesse (ou necessidade ) de técnicos, em apresentar um trabalho com resultados imediatos. Ou dos pais, que ( CLARO, com a melhor das intenções) curtem e acreditam DE VERDADE que serão os novos MR and MRS Federer, Williams, Djokovic, etc, e já se imaginam nos “boxes”dos torneios internacionais, brevemente ... Caíram na “armadilha”!! THE TRAP!!! Aumentam-se os investimentos em viagens (pseudo e literais) para torneios cada vez mais distantes , nos quais, sempre, por muito pouco, não acontece a vitória sobre um pro ou campeão juvenil. Resultados fictícios, alto grau de stress e irritabilidade ... VOILÁ !!!!! Está criado um pequeno “mitômano” !!!  Não irá para a Universidade nos States, porque não estudou enquanto se preparava para o “ululante e tonitruante” sucesso. A versão ? “Tênis universitário é para os que não conseguem chegar a pro !!!!” E, enquanto o sucesso não chega, entre uma e outra quebra de raquetes ( sempre em grande número !!!) nosso jovem herói aprenderá todas as gírias e “hand shakes” dos diversos estados nacionais, graças às constantes viagens ... fará novos amigos, sempre bem “rankeados”, e,  na volta para casa, um técnico já não tão empolgado começará a justificar a ausência de resultados culpando os pais, a federação (seja ela qual for), e... finalmente... no feminino, a falta de apoio e de torneios, e... no masculino (além das razões anteriores), o próprio jogador, que não se dedica o suficiente, ou.... A SALVAÇÃO!! Para orgulho de todos , ele agora só quer saber de namorar !!! WHO’S TO BLAME ?? Mas, espere !! Tenistas profissionais não namoram ?? Claro que sim !! Há tempo e espaço para tudo, desde que haja sincronia entre realismo e cronologia .

Ou seja... em algum lugar, em algum momento, o carro foi colocado à frente dos bois ( e acontece rápido).... a “viagem” foi mais atraente e glamourosa do que o trabalho duro e o pé no chão, dando-se um passo de cada vez..   É... La Fontaigne explica.... “ssii-ssii-ssii”..