Quem Somos
Galeria de Fotos
         
 
Serviços
Notícias
         




Notícias

Dia Internacional da mulher

08/03/2016
 

Nossa homenagem a estas corajosas e competentes desbravadoras de nosso esporte!

Acima, à esquerda:

Charlotte Cooper -  Britânica

Charlotte foi uma das primeiras tenistas a usar o voleio, técnica que a ajudou a conquistar o primeiro torneio de simples de Wimbledon em1895. Ela costumava ir de bicicleta da casa de seus pais em Surret até Wimbledon, onde viria a conquistar o título em 1895, 1896, 1898, 1901e 1908.

"Chattie", como era apelidada, tornou-se a primeira mulher a conquistar uma medalha de ouro olímpica.[2] Ela venceu o torneio de simples nosJogos Olímpicos de Verão de 1900 em Paris, na França, quando foi permitida a participação feminina nos Jogos pela primeira vez. Copper ainda conquistou o torneio de duplas mistas ao lado de Reginald Doherty.[3]

 

Acima à direita 

Suzanne Lenglen - Francesa

N°1 mundial : 1925 et 1926 (os dois primeiros anos de existência da classificação)

Roland-Garros: (16 títulos)

Wimbledon: (15 títulos)

 

  • Medalha de ouro olímpica em simples nos JO de 1920.
  • Medalha de ouro olímpica em duplas mistas nos JO de 1920 (com Max Decugis).
  • Medalha de bronze olímpica em duplas nos JO de 1920.
  • Campeonatos mundiais em saibro: 1914, 1919, 1920, 1921, 1922, 1923

 

Abaixo à esquerda 

Yone Borba Dias - Brasileira

 Tenista gaúcha  de grande contruibuição ao tênis brasileiro dentro e fora de quadra. Foi a idealizadora do Seniors Internacional de Porto Alegre, que leva o seu nome, Copa Yone Borba Dias, e que hoje tem a maior graduação no ranking ITF, passando a integrar o Grupo A.

 Além das diversas participações em torneios, Yone Borba Dias foi autora de um importante livro da bibliografia do tênis brasileiro, chamado “Jogo Aberto”, lançado em 2001.

 

Abaixo á direita

Maria Esther Bueno - Brasileira

Atuante nas décadas de 1950, 1960 e 1970.

Ao longo de sua carreira, Bueno venceu dezenove torneios do Grand Slam (7 na categoria simples; 11 em duplas femininas; 1 em duplas mistas). Segundo a Federação Internacional de Tênis, foi a nº 1 do mundo em 1959, na categoria individual feminina.[1] O International Tennis Hall of Fame também a incluiu como a melhor tenista do mundo, em 1964 (depois de perder a final no Torneio de Roland-Garros e ganharWimbledon e o U.S. Open) e 1966.

Em 1960, ela entrou para a história ao ser a primeira mulher a ganhar os 4 Grand Slams jogando em duplas num mesmo ano (3 com Darlene Hard e um com Christine Truman Janes).

Seu nome está no Livro dos Recordes: A final do US Open de 1964, contra a americana Carole Caldwell Graebner, Maria Esther venceu a partida em apenas 19 minutos.[2]

Famosa pela elegância do estilo de jogo e pela potência do serviço, é a maior tenista brasileira de todos os tempos.